O que é Eficiência Comercial

Um dos conceitos mais subestimados nos negócios é o da eficiência empresarial.

 

Em geral, a eficiência refere-se à medida em que a entrada em direção a um sistema é bem utilizada para uma saída pretendida. Se você pensar em termos de uma máquina, você quer alcançar a maior quantidade de produção (por exemplo, bens produzidos) com a menor quantidade de entrada (por exemplo, energia, trabalho etc.).

O que é eficiência comercial?

Nos negócios, a eficiência refere-se à produção de bens ou à oferta de serviços usando a menor quantidade ou recursos, como capital, força de trabalho, consumo de energia, etc.

 

Empresas eficientes são capazes de criar produtos, oferecer serviços e atingir suas metas gerais com o mínimo esforço, despesas ou desperdício.

 

Levando isso um passo adiante, e como o resultado final de um negócio é a geração de receita, a “eficiência comercial” refere-se à quantidade de dinheiro (receita ou lucro) que uma empresa pode gerar com uma determinada entrada de recursos.

 

Como os recursos são finitos e onerosos, nosso objetivo final como proprietários de empresas é criar empresas que sejam eficientes e gerem a receita máxima para a entrada de dados.

 

Alcançar isso nos permite alocar mais recursos para pesquisa e desenvolvimento, reinvestir na infraestrutura da empresa, gastar mais em marketing e vendas ou aumentar as margens de lucro.

 

Por outro lado, um negócio ineficiente vai “desperdiçar” recursos, limitando assim sua capacidade de crescimento, e corre o risco de ser esmagado por seus concorrentes mais eficientes.

 

Como um negócio é um sistema muito complexo, aumentar sua eficiência depende tanto do aumento da eficiência dos vários submódulos (por exemplo, marketing, atendimento ao cliente etc.) quanto da interação entre eles (por exemplo, colaboração entre marketing e vendas).

BAIXE GRÁTIS OS 3 E-BOOKs

ENVIAREMOS DIRETAMENTE PARA SEU E-MAIL
SEM ENROLAÇÃO

loading...

Comparação de Negócios Diferentes

Ao comparar a eficiência das empresas, é importante fazê-lo dentro do contexto de um determinado setor. Não faz sentido, por exemplo, comparar uma empresa de manufatura com um negócio on-line, ou até mesmo um varejista de roupas a uma cadeia de panificação.

 

Para comparar a eficiência de diferentes negócios, uma boa métrica a ser usada é a da Margem de Lucro (Lucro Bruto e / ou Lucro Operacional).

 

Em geral, a margem de lucro é expressa como uma porcentagem e mede quanto de cada real de vendas uma empresa realmente mantém nos lucros. Mais especificamente:

 

A margem de lucro bruto é uma métrica financeira que revela a proporção de dinheiro que sobrou das receitas após a contabilização do custo das mercadorias vendidas (CPV).

 

A margem operacional é uma medida da parcela da receita de uma empresa que sobra após o pagamento de custos variáveis ​​de produção, como salários, matérias-primas, etc.

 

Nesse sentido, as margens de lucro medem efetivamente a “saúde financeira” de um negócio e a eficácia de seu modelo de negócios.

 

Outra classe de métricas úteis são os vários índices financeiros que calculam o “retorno sobre o investimento”.

 

Por exemplo, a relação ROA (Return on Assets) (calculada pelo Lucro Líquido dividido pelos Ativos) mede a eficiência e eficácia de uma empresa em alavancar seus Ativos.

 

Da mesma forma, o índice de Retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE) (calculado pelo Lucro Líquido dividido pelo Patrimônio Líquido) mede quão eficientemente e efetivamente uma empresa está alavancando seu patrimônio total.

 

Por fim, outra métrica usada para avaliar a eficiência de um negócio, e uma das minhas favoritas, é “Receita por funcionário”. Como o nome revela, é calculado dividindo a receita da empresa pelo número total de funcionários.

 

Essa é uma métrica muito útil porque, na maioria dos casos, a folha de pagamento é o componente mais caro da geração de receita.

 

Mais uma vez, a comparação aqui é apenas significativa dentro da mesma indústria, mas como você deve ter adivinhado, as empresas de tecnologia são as que brilham.

Exemplos de medição da eficiência de negócios

Agora, vamos examinar um exemplo para entender melhor os conceitos. Suponha duas empresas fictícias (na mesma indústria) com as seguintes características:

Empresa A Empresa B

Receita A 17.000.000  – B 6.000.000

Lucro A 1.200.000 – B 700.000

Empregados A 120 – B 100

De uma olhada rápida, é bastante óbvio qual é o mais eficiente e, portanto, mais lucrativo e valioso. Vamos nos aprofundar nos detalhes.

A empresa A gera R$ 17 milhões em receita anual, com 120 funcionários no total, por um valor muito respeitável de receita por funcionário em torno de R$ 142.000.

Por outro lado, a empresa B gera R$ 6 milhões em receita anual, empregando 100 pessoas, por uma receita de R$ 60.000 por funcionário.

Como você pode ver, a Empresa A é quase 2,5 vezes mais eficiente com base nesses números, e alcança a lucratividade com uma margem de lucro de cerca de 7%, enquanto a Companhia B se esforça, registrando uma perda de R$ 700.000.

Além disso, assumindo um salário médio anual de R$ 45.000, e como um funcionário pode custar cerca de 1,3 vezes o salário base, chegamos a um custo anual de R$ 58,5 mil por funcionário.

Isso significa que a empresa B mal cobre os custos de folha de pagamento e precisa reavaliar seriamente seu modelo de negócios e, talvez, realizar uma reestruturação de negócios.

Causas da Ineficiência do Negócio

Agora, você pode se perguntar como tal discrepância ocorreu e quais são as causas da ineficiência dos negócios.

Deixando os casos de lado de lado (por exemplo, dimensionando a empresa prematuramente), a causa raiz é provavelmente múltipla.

Talvez a Empresa B careça dos processos e procedimentos internos necessários para agilizar as operações.

Ou pode ter falhado em investir em tecnologia e agora não tem a infraestrutura necessária.

Ou talvez tenha uma má cultura empresarial e assim repele pessoas capazes.

Ou talvez não tenha fornecido o treinamento necessário para seus funcionários, que agora ficam aquém da concorrência no conhecimento técnico.

 

Conclusão

A eficiência comercial é um conceito que todo proprietário de negócios deve entender e monitorar. Ele pode ser medido de várias maneiras, como calcular margens de lucro, taxas de retorno sobre investimento e receita por empregado.

Melhorar a eficiência dos negócios é um jogo de longo prazo e é tudo sobre os detalhes.

Ao melhorar sua empresa um pouquinho a cada dia, você acabará construindo uma máquina bem lubrificada que gera receita que exige apenas a menor quantidade de recursos.

Acompanhar a eficiência do seu negócio, juntamente com suas outras métricas financeiras, é fundamental ao construir e expandir seus negócios, e é uma arma poderosa que pode ser usada para vencer seus concorrentes. Não negligencie isso!

ESCRITO POR:

Daniel Tito

Daniel Tito

Aprendiz

+ DE

0
ALUNOS CADASTRADOS
loading...

JOVEM!

AO FAZER PARTE DE NOSSA ACADEMIA, VAMOS LHE ENVIAR MODERADAMENTE TODOS NOSSOS CONTEÚDOS.

CONTEÚDO DE QUALIDADE! PARA QUE VOCÊ REALMENTE APRENDA.

PROMETEMOS QUE NÃO VAMOS FICAR ENVIANDO AQUELES EMAILS CHATOS DE CURSOS E PRODUTOS QUE VOCÊ NÃO QUER! 😉 

  

APROVEITE… É GRÁTIS!!!  🙂

OUTROS ARTIGOS BEM LEGAIS 😜

Procrastinar e Produtividade

MINDSET Empreendedor

10 Livros de Autoajuda 2019

Todos os direitos reservados – Jovens Mestres Academy® – 2019

Fechar Menu