Tudo sobre

Mindsets

Você sabia que Bill Gates era chamado de Nerd na escolha e atualmente emprego muitos desses amigos na Microsoft? Então, ele é um dos maiores gênios e desde jovem tinham alguns mindsets que eram bem favoráveis.

Provavelmente ele tinha facilidade para aprender, com certeza era um dos melhores alunos e depois se tornou o maior empresário do mundo. Esse fato demonstra que ele conseguiu seguir uma regra e hoje é um sucesso mundial.

Do outro lado, é possível ver que Rick Chesther foi um vendedor de água e hoje dá palestras até em Harvard. Esse caso demonstra que tem como desenvolver uma mindsets de sucesso e assim conquistar todos os seus objetivos.

Mindsets: Aprendendo tudo

Existem habilidades que são natas, ou seja, a pessoa já nasce e pode ser manifestado ainda na infância. No entanto, vão existir outras pessoas que precisam desenvolvê-las com o passar do tempo e assim alcançar as metas.

 

Mindsets podem ser traduzidas como mentalidades ou mesmo uma programação mental que seja eficiente. Trata-se de ter alguns atributos e para favorecer o entendimento é necessário mostrar do que se trata, veja:

  • É o conjunto de crenças e pensamentos;
  • Existe dentro da mente de cada um de nós;
  • Determina o que é sentido e também nas ações que foram tomadas.

 

Desse modo, o mindsets pode ser explicado como a sua mente se programa para pensar sobre um assunto. Fazendo uma analogia com um computador, será mais ou menos o software que vai determinar como pode vir a funcionar.

 

Conforme mostrado anteriormente, os mindsets são formados pelas crenças, ou seja, aquilo que as pessoas acreditam. As crenças são definidas por tudo aquilo passou, sendo as experiências vividas, lidas e até mesmo ouvidas.

Vem desde a infância

Um dos exemplos mais conhecidos sobre mindsets é do Michael Jackson e não trata-se da sua arte.      Na infância ele ouvia constantemente que o seu nariz era feio e que parecia uma panela, ou seja, ele sentia-se cada vez mais feio.

 

Bastou ele crescer e começar a fazer sucesso, a primeira coisa que ele decidiu mexer foi justamente no nariz. Foram diversas cirurgias e nunca ele sentia-se realmente satisfeito, sempre faltava algo e isso perdurou até o fim da sua vida.

 

Talvez os pais dele não perceberam, porém tudo o que foi falado criou nele uma mentalidade do seu nariz sempre ser feito. Ao ficar famoso, ele decidiu corrigir e querendo ou não, acabou por desenvolver uma grande compulsão por isso.

 

Outro exemplo de mindsets é o cantor americano Kurt Cobain, que sofreu com a separação dos pais aos 7 anos. E desde então passou por diversos momentos complicados e foi desenvolvendo uma mentalidade contrária ao divórcio.

 

Bastou ele separar-se pela segunda vez e Kurt acabou por se suicidar, deixando uma carta longa de despedida. Ele mencionava que não gostaria de passar por mais um divorcio e deixar a sua filha tendo pais separadas.

 

É usando esses exemplos que dá para perceber a importância que as mindsets tem para a vida de todos. Uma vez que é com base no que você acredita que vai gerar, pensamentos, depois sentimentos, daí ações e por fim, os resultados.

 

Grande parte desses mindsets acontecem na infância, porque é a época mais aberta ao aprendizado, porém podem rolar depois. O principal é entender que os resultados serão sempre fruto daquilo que é pensado e também gerado.

 

Tipos de mindsets

Até agora deu para perceber que os pensamentos vão ser fundamentais para que algo seja criado. Por exemplo: Quando Hitler pediu a Porsche para fazer um carro, o engenheiro pensou numa gota de água caindo e projetou no fusca.

 

A física quântica através dos estudos relacionados ao pensamento, campo magnético e lei da atração, comprova cientificamente que os mindsets tem poder, especialmente devido a “cocriarem” algo que depois será materializado.

 

Uma maneira diferenciada de entender as programações referentes ao mindset, foi criada por Carol Dweck. Uma vez que ela foi professora e pesquisadora da Universidade de Stanford, confira a seguir os dois tipos de mindsets:

 

Mindset Fixo

Trata-se de uma abordagem que propõe que as pessoas com mindset fixo creem que suas habilidades podem ser inatas e constantes. Por exemplo: tem um nível de inteligência, de moral, personalidade e tudo vai determinar o que será feito.

A ideia é mostrar que todas essas situações pelas quais essas pessoas passam serão confirmadas por essas características. Se terão sucesso em uma atividade ou não irá comprovar que a sua inteligência é comprovada ou mesmo falha.

O objetivo desse tipo de mindset é mostrar que será limitado e não terá como ultrapassar certo limite de inteligência. A limitação para determinadas atividades não poderia ser superada, ou seja, trabalha com uma visão um pouco restritiva.

 

Mindset crescente

Já esse tipo de mindset é conhecido como crescente, portanto, existirá uma visão diferenciada das habilidades. Já que as habilidades podem ser melhoradas, sempre de acordo com o seu esforço e também dedicação.

É primordial entender que essas pessoas vão entender que todos possuem um potencial desconhecido e que pode ser desenvolvido. Bastando apenas ter dedicação e vontade de aprender, pois os resultados vão vir desse pensamento.

Vale destacar que as pessoas com os mindsets crescentes não devem ser vistas como mais inteligentes ou capazes. Uma vez que elas creem que será possível ter uma evolução e também um desenvolvimento bem mais efetivo.

Além desses fatos, é preciso encarar as falhas como grandes oportunidades de aprendizado e não vão comprovar as suas habilidades. É primordial que fortaleça cada vez a autoconfiança, porque isso irá materializar melhores ações.

 

Fixo ou crescente?

Não é preciso nem ir muito longe para mostrar que o mindset fixo trará alguns tipos de pensamentos que são peculiares. Para permitir um melhor entendimento é a hora de buscar do que se trata e a seguir você vai conferir tudo:

  • “Isso indica que não sou capaz”;
  • “Ele é melhor do que eu”;
  • “Isso significa que eu não um bom pai ou uma boa mãe”.

Todos esses sentimentos vão gerar energias e depois ações, por fim resultados que podem ser de vários tipos. Pense em quais os resultados que cada um desses tipos de pensamentos vai gerar, porque a lógica é que sejam limitantes.

 

Os mindsets fixos acreditam que sempre será necessário provar algo para alguém e não que você é autossuficiente. A maioria dos pensamentos sempre duvida da capacidade e acabam não auxiliando a recomeçar e sim a desistir.

 

Do outro lado, um mindset quando é crescente não considera o que é e sim como você está nesse momento. Basicamente, é afirmar que você pode até não saber fazer determinada função, porém vai buscar aprender a realizar aquilo.

 

O entendimento faz com que exista um pensamento de naquele momento você pode não ter a capacidade de realizar aquele objetivo. No entanto, vai procurar desenvolver as habilidades para que consiga demonstrar a sua evolução.

 

O mindset cresce consegue entender que as pessoas de sucesso têm uma trajetória até o sucesso e você poderá construir a sua. Por exemplo: alguém para aprender inglês estudou mais quando percebeu que isso seria bem útil.

 

Por fim, mas não menos importante, os mindsets crescentes mostram que a falta de conhecimento é um estimulo. Especialmente para trazer mais dedicação e não como uma sentença que dizia que seria impossível aprender aquilo.

A modificação depende só de você

Algumas pesquisas que foram realizadas por Dweck indicam que dá para identificar os pensamentos de um mindset fixo e substituir por pensamentos de um mindset crescente, ou seja, dá para trazer mais motivação e confiança.

 

Uma vez que a conquista de objetivos virá de ter esse tipo de visão, portanto, é preciso colocar sempre em prática. Muitos querem aprender a forma correta de desenvolver os mindsets crescentes e para tal basta conferir tudo a seguir:

  • Ouça os seus pensamentos gerados pela sua mente e identifique quais são as suas crenças;
  • Pense melhor nas suas experiências do passado e também como as mesmas podem estar influenciando as suas atitudes do presente;
  • Comece a encarar essas características como estados a serem desenvolvidos;
  • Vá criando de maneira paulatina os mindsets crescentes e assim os resultados são aumentados.

 

É muito importante pensar que as situações presentes na vida de cada um precisam ser vistas apenas como algo passageiro. Os momentos ruins passam, só que os bons também e por isso é preciso ir desenvolvendo as habilidades.

 

Para que tudo faça mais sentido, é o momento de colocar em prática e assim ir atingindo todos os seus objetivos. Nada é estático e tudo muda, o ser humano sempre precisou se adaptar, porém atualmente é preciso mudar o pensamento.

 

O estudo sobre os mindsets atuais vão trazer a tona sempre a necessidade de reconhecer a importância que cada um tem. As ações são feitas primeiro na sua mente e pensar antes de agir é um ótimo recado, pois evitará maiores problemas.

4 exemplos do uso do poder do pensamento

Padrões mentais e pensamentos são o tema de estudo da neurociência a anos e alguns pesquisadores como Philip Zimbardo e Walter Mischel tem se destacado, ambos trazem à tona aspectos que precisam ser considerados.

Grande parte das suas pesquisas vão corroborar sempre no entendimento de que padrões mentais são fundamentais para qualidade de vida. Podendo influenciar em vários indicadores que as pessoas têm, confira alguns abaixo:

  • Vida;
  • Relações interpessoais;

A questão principal é que os mindsets demonstram que o pensamento tem poder e isso cai em física quântica. Uma vez que por meio de muitos estudos, a ciência quântica demonstrou que os pensamentos geram até energia.

O ponto principal é entender como os mindsets acontecem na prática e é preciso citar muitos exemplos variados. Pensando nessas questões, a seguir vai ser possível conferir 5 exemplificações de diferentes tipos de atuações:

1. Marco Ruas

Marco Ruas foi um grande lutador de MMA, ele nos anos 80 já treinava diversas artes marciais para implementar na hora da luta. Vale lembrar que nessa época quem praticava Jiu-Jitsu não poderia praticar outro tipo de arte de arte marcial.

 

Ele teve a capacidade de enxergar que lutar apenas no chão ou só em pé, não seria uma boa alternativa. Uma vez que se o adversário dominasse mais artes, provavelmente ele venceria a luta e ainda com muito mais facilidade.

 

Em 1984 na luta contra Fernando Pintuka foi a primeira vez em 30 anos que alguém do Jiu-Jitsu não vencia a luta. Naquele combate, Marcos Ruas repetia mentalmente que não iria perder a luta e conseguiu empatar no final das contas.

 

Deu para perceber que os seus mindsets fizeram com que ele lutasse bem e conseguisse não perder. Depois dessa luta, ele começou a praticar o MMA em outros locais e em 1995 foi campeão do UFC, o evento máximo na época.

2. Ayrton Senna

Ayrton Senna é um dos maiores esportistas de todos os tempos e muitos o consideram como o maior piloto de todos os tempos. Uma vez que ele foi o grande responsável por introduzir a preparação física na fórmula 1.

 

As suas corridas eram marcadas por garra, arrojo e Senna sempre estava no limite, não importa a posição a ser disputada. O seu grande diferencial era o trabalho mental, e Ayrton conseguia dar uma volta rápida sem respirar.

 

Os mindsets que ele usava era sempre o da motivação, concentração e principalmente conhecimento sobre o carro. Amigos mais próximos deles, diziam que ele analisava os dados da volta para aprender a forma de melhorar.

 

Ele trabalhava bem com a equipe e conseguia tirar excelentes resultados do carro, muitos rivais o elogiavam. Eles passavam a frente a informação de que Senna era o piloto mentalmente mais bem preparado da história da Fórmula 1.

3. Rick Chesther

A história de Rick Chesther fez um vídeo e ganhou o Brasil por meio do Whatsapp, tudo por algo bem amador. O conteúdo era digno de uma palestra, especialmente nos assuntos relacionados a economia e empreendedorismo.

 

A linguagem dele era simples e direta, no vídeo dá para aprender a como começar um negócio com investimento baixo. Ele ensina a forma correta de conseguir uma boa grana vendendo água na praia, portanto, é interessante.

 

Ele passou de ser um vendedor de água nas ruas do Rio e hoje é um grande influenciador digital no mundo do empreendedorismo. Também escreveu um livro chamado “Pega a Visão” e hoje é uma personalidade nas redes sociais.

 

Os mindsets que ele usa é crescente e Rick Chesther fez das suas dificuldades o combustível para crescer mais. Recentemente ele deu uma palestra em Harvard e hoje é um dos palestrantes mais concorrido do Brasil.

4. Abílio Diniz

Trata-se de um dos maiores empresários do Brasil, foi dono muito tempo do Grupo Pão de Açúcar. Embora venha de família rica, ele enfrentou dificuldades e começou o seu negócio em uma Kombi, daquelas bem velhas.

 

Com o tempo, ele foi desenvolvendo novos mindsets e fazendo fusões que deram a ele uma grande rede de lojas. Sem contar que ele investia nos seus funcionários e auxiliava até a pagar uma porcentagem da faculdade delas.

 

É importante mostrar que ele acreditava no seu potencial e se preparava para o sucesso, sempre de duas formas. A primeira era intelectualmente, ou seja, por meio de muitos cursos e segunda era cuidado do seu condicionamento físico.

 

Abílio Diniz é referencia e usou os mindsets em prol de um bem maior, ou seja, de conseguir crescer cada vez mais. Com mais de 80 anos, ele continua dando palestras e fazendo comentários esporádicos sobre determinados assuntos.

O teste do Marshmallow

Para finalizar o entendimento sobre os mindsets é preciso mostrar um experimento que corrobora esse tipo de pensamento. Tudo tem início na década de 60, quando o psicólogo Walter Mischel começou a observar as suas filhas.

 

Ele começou a fazer pequenos testes enquanto ia ao supermercado, as meninas pediam um marshmallow. Ele dizia que ao chegar em casa daria dois, porém elas poderiam comer um no local e a escolha ficava a cargo dela.

 

Só que ele percebia que a filha que conseguia “resistir” a tentação, acabava tendo um rendimento na escolha melhor. O aprendizado era mais simples e quando comparado com as demais, dava para perceber muitas diferenças.

 

Desse modo, ele decidiu fazer um experimento maior e que abrangesse mais crianças do que apenas as suas filhas. Então, Mischel decidiu pedir autorização a escola de Stanford e assim criou um uma metologia diferenciada.

 

Para favorecer o entendimento e fazer com que tudo faça mais sentido, é preciso mostrar três pontos essenciais do experimento. Por meio disso, vai ser possível perceber mais sobre as mindsets incluídas em todo esse contexto importante:

Metodologia

Basicamente, a forma de conseguir analisar o que acontece com as crianças consistia em retardar a recompensa. Só que para conseguir analisar, ele precisou criar uma metodologia e processo era simples, confira a seguir:

  • Crianças de 7 a 9 anos entravam em uma sala branca, com uma mesa, uma cadeira, um vidro escuro e na mesa um marshmallow;
  • A criança ouvia as instruções de Walter Mischel, basicamente ele dizia que elas já tinham aquele doce, porém se esperassem 15 minutos ganharia outro;
  • Atrás daquele vidro escuro, o psicólogo via tudo e a criança não sabia;
  • Muitas crianças não resistiam e comiam o doce, outras conseguiam esperar;
  • Walter Mischel acompanhou essas crianças por mais de 40 anos.

 

Deu para perceber que a ideia era analisar a diferença entre aquelas que comiam o doce e as que retardavam. Depois de um tempo ele decidiu ampliar e ensinar algumas crianças dessa escola a sempre retardar a recompensa.

Resultado

Mischel acompanhou essas crianças por mais de 40 anos e durante o período analisava como elas estavam levando a sua vida. Num determinado momento, ele acompanhou na adolescência e os resultados serão mostrados a seguir:

  • As crianças que não resistiam aos doces passaram a ser adolescentes com notas piores na escola e algumas até problemas com drogas;
  • Do outro lado, aquelas que resistiam aos doces, tinham notas melhores e não davam tanto problema para os pais.

 

Grande parte dos mindsets presentes nos adolescentes que conseguiam resistir as recompensas, pensavam em um bem maior. Já para as crianças que eram ensinadas a agir assim, os resultados eram semelhantes aos citados acima.

 

Só que a pesquisa não parou por aí e quando elas chegaram a meia idade, houve outra constatação. Trata-se de ver como estava indo o desenvolvimento como pessoas adultas, ou seja, a conclusão foi a seguinte:

  • Aquelas crianças que não resistiam aos doces, tinham trajetória profissionais cheias de insucessos e estavam no segundo ou terceiro casamento;
  • Já para aquelas que resistiram aos doces o resultado era outro, pois elas tinham cargos de liderança e casamentos duradouros.

 

Posteriormente, a sua filha Linda Mischel terminou a pesquisa e por meio de um escâner cerebral confirmou do que se trata. Aquelas crianças que resistiam aos doces criavam resistência a um composto orgânico chamado catecolamina.

 

Basicamente elas conseguiram resistir aos desejos momentâneos e também as frustações em prol de um bem maior. Os mindsets pregam exatamente isso, ou seja, você vai fazer da sua dificuldade a sua motivação maior.

 

O experimento do Marsmallow confirma que todos podem mudar o seu pensamento, bastando apenas querer. O recado final que fica dos mindsets é simplesmente entender que o desejo cria, o desejo atraí e a fé realiza.

 

ESCRITO POR:

Daniel Tito

Daniel Tito

Aprendiz

BAIXE GRÁTIS OS 3 E-BOOKs

ENVIAREMOS DIRETAMENTE PARA SEU E-MAIL
SEM ENROLAÇÃO

loading...

OUTROS ARTIGOS BEM LEGAIS 😜

Empreender Jovem - Você está atrasado?

Fazer o Bem - O quanto importante é para sua vida

Profissões do Futuro - O que está por vir

Todos os direitos reservados – Jovens Mestres Academy® – 2019

Fechar Menu